segunda-feira, 19 de maio de 2014

POETAR EM TEMPO DE CHUVA.



       


          

NÊSPERAS COM PINGOS DE CHUVA.



Pingos de chuva salpicam
o busto de uma donzela;
os olhos sedentos ficam
tanto os meus como os dela.

                     
                        Para boa fruta comer
                        não espero pelas vésperas;
                        acaba por amolecer
                        tal e qual como as nêsperas.


Para a elas aceder
Não é preciso trepar
Apenas a mão erguer
E, logo, saborear.

                        É preciso ter cautela
                        E desconfiar da cor,
                        Porque, mesmo amarela,
                        Pode não ter bom sabor.

Algumas são bem azedas;
Outras, mais gostosas são:
Têm o travo das cervejas
Num dia quente de verão.



Maio/2014.19





1 comentário:

  1. As nêsperas podem ser amargas
    outras talvez possam ser não
    umas estreitas outras mais largas
    importa é que saciem, insaciado coração!

    Grande abraço e parabéns pelos versos!

    Sérgio

    ResponderEliminar