sábado, 25 de janeiro de 2014

JÁ FUI "JANEIRADO"!

        


              Desde há algumas semanas que uma rusga composta por pessoas de ambos os sexos e diferentes idades percorre os todos os lugares desta freguesia a cantar de porta em porta "as Janeiras", cumprindo uma tradição que se perde na poeira do tempo e se repete quase sem interrupção todos os anos na quadra natalícia e no mês de Janeiro até que a volta esteja concluída.

             Quase sempre o propósito que move os promotores deste tipo de iniciativas é angariação de fundos com vista à concretização de um projecto de interesse público como é o caso desta que visa juntar fundos que ajudem a concluir a Obra Social Riba Lima, que se encontra em adiantado estado de conclusão, no que diz respeito ao corpo do edifício, onde irão funcionar as valências para que foi criado: creche, centro de dia, prestação de serviços a idosos e apoio domiciliário, encontrando-se já algumas delas em funcionamento. 


               Umas vezes mais outras nem tanto, o saldo será sempre animador para quem arrosta, a cantar,  com as dificuldades de vencer as agruras do tempo nesta quadra, enfrentando a chuva, o frio e (a parte mais sofrida, dizem eles) a incompreensão e os comentários menos simpáticos que sempre os há, vindos principalmente daqueles que menos dispostos estão em contribuir, nem que um sorriso apenas estivessem disposto a oferecer a quem trabalha (apenas) por causas e não em seu próprio proveito.



                 Esta tarde coube a mim a vez de ser "janeirado". Subindo a calçada da Travessa da Agra, vindo do Lugar de Lamas, o grupo (pouco numeroso) surgiu na curva apertada do caminho ao toque da concertina, dos ferrinhos, da caixa  e do reco-reco, sendo recebido ao portão pelo casal da casa, que os aguardava à entrada. Tivemos direito a duas actuações, "viva lá, senhora...", etc., entretanto, lá entreguei o meu contributo ao elemento encarregado das contas que o anotou no livrinho próprio, ao mesmo tempo que outra componente e nossa conhecida e amiga, como todos os demais, certamente, se "atirava" à patroa "fazendo-se" ao chouriço ou aos galináceos , com o sucesso esperado em relação ao bicho "penoso", já que no que respeita ao primeiro não há coisa já que se veja porque leva o "Coelho" o porco e deixa para nós a salsicha....

                A "malta" manifestava-se satisfeita pela forma como estavam a ser recebidos no Lugar da Agra, partindo logo a seguir para outra porta na expectativa de verem compensado todo o seu empenho e cumprir com sucesso o seu louvável acto em prol da nossa comunidade.


       

            E até para o ano, se Deus quiser.

        

2 comentários:

  1. Oi Sr.Remigio:
    Gostei do texto e verifico que já é possível deixar mensagens.
    Bjs/Filomena

    ResponderEliminar
  2. Filomena:

    Agradeço-lhe a informação sobre o fim do impedimento que vinha a interferir no acesso à caixa de comentários.

    Bom Domingo e até breve.
    Bj.

    Remígio.

    ResponderEliminar