segunda-feira, 22 de outubro de 2012

INAUGURADO NÚCLEO MUSEOLÓGICO NA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LANHESES.



 NÚCLEO MUSEOLÓGICO DO PATRIMÓNIO MINEIRO DE ARGA E LIMA.


Numa oportuna quanto interessante iniciativa, a Direcção da Escola Secundária, que integra o Agrupamento de Escolas de Arga e Lima, sediado na Alameda 25 de Abril, em Lanheses (Viana do Castelo), inaugurou na passada segunda-feira, dia 15 de Outubro, um núcleo museológico do “PATRIMÓNIO MINEIRO DE ARGA E LIMA”, com a finalidade de recuperar e perpetuar a época frenética da exploração volframista nesta região nos anos da deflagração da II Grande Guerra Mundial de 1939-1945.

O núcleo agora inaugurado foi instalado numa dependência anexa da antiga Casa da Barrosa, que estava condenada à demolição dado o seu estado de degradação e ruína eminente, tendo mesmo sido sugerida a sua demolição pela ex-ministra da Educação Maria de Lourdes Rodrigues numa visita realizada ao tempo em que estava em funções no Ministério da tutela, ideia que o presidente da direcção da Escola, Manuel Agostinho Sousa Gomes, rejeitou liminarmente optando pela sua requalificação tendo em mente o seu aproveitamento para os fins agora realizados.
Situada no lado nascente da cerca da Escola, a antiga dependência agrícola da Quinta da Barrosa  é  constituída por três espaços interiores, dois dos quais destinados ao núcleo e um para servir de apoio  a outras actividades do Agrupamento. No exterior, foi construído um minianfiteatro.


A entrada dá para uma sala ampla, com travejamento em vigas de madeira, dispondo de uma rampa de acesso interior que leva ao espaço menor onde se situa a cozinha com lareira e chaminé tradicionais nesta região.  Nas duas dependências estão já alguns testemunhos relacionados com a exploração do volfrâmio nesta região alargada às freguesias circum-vizinhas, na forma de ferramentas, vestuário, fotografias, hábitos alimentares, documentos, relatos escritos e um televisor para a passagem de vídeos. A recolha das memórias  é dinâmica pelo que outras serão ali patentes à medida que foram disponibilizadas pelos seus detentores.


A requalificação efectuada preservou a rusticidade das paredes interiores e exteriores mantendo-se a telha na cobertura. A localização perto de um amplo espaço com árvores de fruto (“laranjal”, como é internamente designado) dá-lhe o necessário enquadramento rural e sustenta a harmonia do conjunto.
Pelo que foi dito no local pelo director do Agrupamento, Agostinho Gomes, o investimento, relativamente reduzido para a relevância do fim a que se destina, foi gerido, “ao cêntimo”. –Para nós, um tostão é um milhão, diria.  
Se a instalação do núcleo veio enriquecer o património cultural e a oferta educativa aos alunos e à população em geral, mantém-se ainda pendente a resolução de duas aspirações de tomo: a aquisição do edifício da antiga Casa da Barrosa, devoluto mas propriedade privada, e, a edificação no já citado “laranjal” de uma antiga mas cada vez mais necessária aspiração local que é a piscina.
O desafio já está há muito lançado. Têm a palavra as entidades locais e concelhias.

As fotografias abaixo respeitam à inauguração efectuada no dia 15 deste mês.





























2 comentários:

  1. A casinha esta muito bonita, mas a chaminé toda branca estraga o conjunto.Que pena!

    ResponderEliminar
  2. Caro Remigio Costa, e sempre de louvar, apreciar, e aplaudir iniciativas como esta. Tambem e de louvar a maneira como estas a conduzir o teu blog com a necessidade de desenvolveres a rubrica "Camara oculta" . Ha sempre uns "achados" muito engracados.

    ResponderEliminar