segunda-feira, 15 de outubro de 2012

CAPELA MORTUÁRIA COM AR CONDICIONADO.

            O exaustor do ar condicionado no interior da janela do lado direito da porta de entrada.

       A capela mortuária de Nossa Senhora da Esperança foi recentemente dotada com um sistema de ar condicionado, melhorando substancialmente as condições de velórios no local, principalmente nos dias em que se fazem sentir  temperaturas mais agrestes. 

        A iniciativa terá partido da Comissão Fabriqueira da Freguesia.


 O interior da capela mortuária preparada para a celebração da Eucaristia que ali vai decorrer, hoje.


       Pormenor do umbral da porta interior de acesso à capela.

           Esta tarde, pelas 18h30, vai realizar-se nesta capela uma missa, tendo como celebrante o padre José Luís, pároco de Fontão e docente de E. M. e Religiosa, integrada na instituição do "DIA DA ESCOLA SECUNDÁRIA DE LANHESES" que o Agrupamento de Escolas de Arga e Lima instituiu, na comemoração dos 22 anos da entrada em funcionamento do referido estabelecimento de ensino.

12 comentários:

  1. mas que trite iniciativa.

    ResponderEliminar
  2. Mas que comentario tao triste!!!!!

    ResponderEliminar
  3. Tiste noticia; no dia da apresentação do péssimo orçamento do Estádo,até pareçe que a (fabriquêta) não sente a crise! Não me ademira muito porque o gestor Dr?? Sálo... caíu em lanheses num dia de maré viva, e póde gerir o dinheiro dos pobres, ou é com o dinheiro do saco AZUL?. Olhem para o escarro que colocaram na frente principal de uma Capela daquele estilo, até os tubos de esgoto estam a descarregar no peitoril da janela, mas a culpa é do Padre,porque não sabe gerir.J.G.

    ResponderEliminar
  4. Sr. Comentador J.G, que o aparelho esteja mal colocado,talvez, nao sou profissional nessa area, mas que foi nao so uma boa ideia, como tambem, um dever. Nao sei se sabe..que em qualquer pais mais ou menos civilizado e por lei e obrigatorio "um aparelho" que faca circular o ar! Por vezes ha cheiros que teremos que evitar e, principlamente nestes lugares sagrados. Concluindo o Sr., a meu ver, esta errado e a alarga-se para um campo fora da sua juridicao!...vamos ser rasoaveis com aqueles que procuram fazer alguma coisa pela nossa Terra, tivessem nascido nela ou nao.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até parece engenheiro de termodinâmica.
      Em primeiro lugar é um AC, não um equipamento de ventilação.
      Então é necessário um aparelho de circulação de ar na capela? Mas lá não é nenhuma sala de fumadores... Não há nenhuma lei que obrigue à colocação deste tipo de equipamentos. Quanto à sua necessidade é que podemos questionar. A meu ver era perfeitamente dispensável.
      RO

      Eliminar
  5. Mas que aberração! Não havia outro sitio para colocar esse aparelho, sem ser na janela da entrada principal? Fica mesmo mal,tira toda a estética a capela.Que coisa feia!

    ResponderEliminar
  6. Ontem quando vi a foto, não me apercebi que era uma das janelas frontais.
    Agora que revejo a foto, alertado pelos comentários, não percebo como é possível fazer uma borrada dessas.
    Quem fez, quem deixou fazer, quem mandou mas principalmente quem pagou semelhante borrada, devia transportar o aparelho às costas durante um mês.

    Tamanha incompetência...

    ResponderEliminar
  7. O aparelho é necessario,claro, nisso não ha duvida! Mas, por favor, coloquem-no noutro sitio!" fazer alguma coisa pela nossa terra" não é estragar o patrimonio que nela existe.

    ResponderEliminar
  8. Ao comentado do dia 16, das 20.37 h.
    O local aonde está colocado o aparelho,em vêz de enviar ár puro vai levar cheiro a suváco,e tabaco!!!.J. G.

    ResponderEliminar
  9. Ex.mo Senhor J.D.:
    O meu comentario e minha opineao foi dado, mas nao vou alimentar polemica com um assunto tal vagar.

    ResponderEliminar
  10. Corregindo algumas gafas.......mas nao vou alimentar polemica com um assunto tao vulgar.

    ResponderEliminar
  11. Devem ser corrigidas as gafas, mas também o trabalho mal feito:tirem esse aparelho da fachada principal da capela.Isso é um atentado à conservação do patrimonio.

    ResponderEliminar