sábado, 20 de outubro de 2012

ACTIVIDADES NO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ARGA E LIMA.



 CRIAÇÃO DO “DIA DA ESCOLA DE LANHESES” E DO NÚCLEO MUSEOLÓGICO DO “PATRIMÓNIO MINEIRO DE ARGA E LIMA”.

 (Fotos a legendar)
           A Escola Secundária de Lanheses, do Agrupamento de Escolas de Arga e Lima, a funcionar na antiga Quinta da Barrosa, no lugar de Casal Maior, em Lanheses, assinalou no passado dia 15 de Outubro , a passagem do 22º aniversário da sua entrada em funcionamento, tendo a sua direcção aproveitado a efeméride para criar o “DIA DA ESCOLA SECUNDÁRIA” e inaugurar um núcleo museológico do “PATRIMÓNIO MINEIRO DE ARGA E LIMA”.

 


                As solenidades tiveram início com uma missa celebrada na Capela de Nossa Senhora da Esperança a que presidiu o padre José Luís, professor de educação moral e religiosa e pároco da freguesia de Fontão (Ponte de Lima), prosseguindo depois com uma sessão solene que decorreu no novo anfiteatro da Escola, finda a qual se procedeu à inauguração do núcleo museológico de Arga e Lima.

                 Na sessão, onde estiveram presentes, além da direcção da Escola e responsáveis das suas estruturas, os representantes da associação de estudantes actual e da primeira que ali foi criada, presidentes da Junta e da assembleia da freguesia de Lanheses, Ezequiel Vale e António Grenho, respectivamente,  e representantes da associações locais e de algumas Juntas de Freguesia da área do Agrupamento, antigos docentes e funcionários administrativos e auxiliares e outros convidados, foi também prestada homenagem às professoras Maria da Conceição Cruz Araújo Amaro e Maria Augusta Barbosa da Cunha, bem como à auxiliar educativa Anália Maria Lopes Rego Dias Novo, por terem passado recentemente à situação de aposentadas.



                 Apresentados pelo professor da escola Hermenegildo Costa, seguiram-se intervenções de alguns dos presentes, designadamente do Director da Escola Manuel Agostinho Sousa Gomes que, na sua alocução escrita, falou da sua contribuição e atribulações vividas como pioneiro da instalação da escola no final do ano de 1989 e início de 1990 e da colaboração que lhe foi dada pelas professoras Rosa Castro e Madalena Martins na fase difícil do arranque, nos obstáculos que foi necessário transpor ao longo destes vinte e dois anos para que a Escola cumprisse os seus fins com benefício para os  alunos que a frequentaram  com a qualidade que lhe tem sido reconhecida, não só pelas várias entidades da tutela que a visitaram  como por visitantes ilustres do mundo da cultura e da sociedade em geral.




              Agostinho Gomes lembrou, ainda, o dr. António Araújo Gonçalves, já falecido, antigo delegado regional do Ministério da Educação, pela importante acção que teve na resolução dos assuntos respeitantes à Escola.
 
 
 












FOTOGRAFIAS DA INAUGURAÇÃO DO NÚCLEO MUSEOLÓGICO ( A legendar)

 












               Finda a sessão, todos os presentes se dirigiram para o local onde foi instalado o núcleo museológico dedicado a preservar a memória de uma fase marcante da exploração mineira nesta região, que ocupa uma dependência da antiga Casa da Barrosa situada dentro do perímetro do recreio do Agrupamento,  requalificada com muito esmero e gosto, onde já estão expostos alguns objectos em uso pelos volframistas, roupas e ferramentas utilizadas, hábitos alimentares da época, documentos respeitantes às concessões e contratos celebrados e fotografias que documentam algumas cenas da época da exploração. O núcleo irá sendo gradualmente
enriquecido à medida que foram recolhidos e compilados novos documentos e obtidos novos objectos.


            Aqui, depois do descerramento de uma lápide com o nome do núcleo, Agostinho Gomes, não deixou de chamar a atenção dos responsáveis presentes para as enormes vantagens que resultariam para o Estado na aquisição do edifício da antiga Quinta da Barrosa, ali ao lado devoluto, e, a instalação no logradouro situado a norte do núcleo, internamente designado laranjal e propriedade da escola, da piscina que há anos vem sendo reclamada.


          



               
               No final, foi servido a todos os presentes no refeitório um bufet confeccionado pelas cozinheiras da Escola, o qual decorreu num ambiente em que imperou a informalidade e se trocaram muitas experiências vividas em comum no interior desta escola exemplar.

 























4 comentários:

  1. Neste contexto, digamos Humano, o único que não merecia estar presente neste lindo e louvável acontecimento era sem dúvida alguma o Magnifico Presidente da Junta da minha freguesia, Ezequiel Vale, nunca fez nada de jeito sempre andou a mando dos seus "subalternos" digamos. Uma pessoa com pouco nível para desempenhar tais funções de gestão.

    ResponderEliminar
  2. è muito triste ser ignorante, e ponto final

    ResponderEliminar
  3. Realmente muito bem observado, esqueci-me de referir que este é bastante ignorante também. Boa prestação caro anónimo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nao me referi ao presidente da junta foi a voçè

      Eliminar