domingo, 24 de abril de 2016

O FUTEBOL DA NOSSA TERRA.



                Jogador do Vila Fria expulso entra no campo e os colegas impedem tentativa de agressão ao árbitro.

AF Viana do Castelo
Primeira Divisão
Campo 15 de Agosto, em Lanheses
2016.04.24



                         Público a salvo dos jogadores e dos dirigentes seguros pelas grades
     

                UD LANHESES, 4 - Vila Fria, 2
                                  (Ao intervalo: 1-2) 

  VILA FRIA DE CABEÇA QUENTE PERDE O JOGO E A DECÊNCIA EM TEMPO DE COMPENSAÇÃO.
  Com a partida a chegar ao fim e o resultado em 2-2 no primeiro minuto dos três concedidos pelo árbitro para compensação de tempo, os lanhesenses encetaram uma rápida jogada de contra ataque tentando surpreender a defesa do Vila Fria que se adiantara no relvado. O atacante dos locais que conduzia a bola foi claramente rasteirado por um defensor do Vila Fria não podendo Eeu garantir se dentro ou fora da área dado o local donde presenciei o lance. Em cima da jogada o árbitro apontou para a marca de grande penalidade sem qualquer hesitação exibindo o cartão vermelho ao infrator, o qual reagiu contra o juiz da partida de forma excessivamente agressiva a roçar a violência. O seu treinador e o delegado ao jogo bem como os atletas suplentes, completamente fora de si protestaram a decisão do árbitro, tendo mesmo incentivado a que os jogadores desistissem de disputar a bola e abandonassem as suas posições gritando para que o guarda redes que  abandonasse a baliza; apesar disso, ele tentou defender a penalidade sem contudo o conseguir. A partir desse lance só os locais tocaram na bola e tendo-se acercado a passo da baliza do Vila Fria onde apenas estava o guarda redes, Ricardo Silva empurrou o esférico para dentro das redes fazendo o 4-2. Com o árbitro Carlos Rodrigues a dar o jogo por terminado logo a seguir, o jogador que acabara de ser expulso e continuara no banco de suplentes, reentrou no relvado com toda a fúria ao encontro do árbitro sendo impedido pelos seus colegas e logo depois pelos agentes da autoridade presentes de concretizar os seus intentos. Alguns minutos após o incidente todos os jogadores foram para os balneários sem mais desacatos.

                          Equipa de arbitragem liderada por Carlos Rodrigues em maus lençóis após a marcação da segunda grande penalidade contra os visitantes.

     Em termos de números o resultado acaba por ser algo injusto para a equipa de Vila Fria (Viana do Castelo) considerando o equilíbrio com que a partida foi disputada. A arbitragem decorreu de modo normal para este nível de competição apenas vendo a equipa complicada a sua missão após a marcação de grande penalidade mal aceite pelos visitantes que, agora, terão de  aguardar com muita apreensão o que Carlos Rodrigues (e a GNR...) escrever no relatório.  


       Penalti da discórdia que coloca o resultado em 3-2 para o UDL

       
         O UDL alinhou com: Rocha, Faizão, Pedrinha, Tiago Gonçalves (C), Trindade, Ricardo Silva, Kitos (Ribeiro aos 66'), Oliveira (Queiroz aos 66'), Peixe, Rui Sá e Faneca (Guilhaume aos 79'). Suplentes: Marco, Ribeirinho, Lomba, Ruizinho, Édu, Guilhaume e Queiroz.

       Treinador: Marinho 

Árbitro: Carlos Rodrigues

       MARCADOR: 1-0 aos 15' por Cláudio na conversão de uma grande penalidade. 1-1, aos 31' por Miguel num remate cruzado rente à relva; 1-2 aos 39' em remate à entrada da área rente à relva que passou sob o corpo de Rocha; 2-2 aos 58' por Faneca que concluiu à entrada da área com remate colocado; 3-2 aos 91' de novo de penalti a castigar falta evidente sem poder garantir se dentro ou fora da área; 4-2 aos 93' nas condições acima relatadas.
Relativamente ao primeiro penalti assinalado não ficou qualquer dúvida sobre a acertada decisão do árbitro. O jogador do UDL rompeu por entre a defesa do Vila Fria e ficou dentro da áea apenas com o g.r. pela frente, tendo sido claramente derrubado. O árbitro castigou o faltoso apenas com cartão amarelo poupando-o ao vermelho o mesmo não sucedendo em relação ao segundo penalti cujo jogador faltoso foi punido com cartão vermelho direto.


                                      Primeiro golo do UDL marcado de penalti

                                                              Festejos

       O futebol praticado pelos dois conjuntos deixou algo a desejar. Esperava-se que o UD de Lanheses mostrasse por que foi a Cerveira vencer o segundo classificado da prova e pudesse com maior ou menor dificuldade vencer a equipa que o antecedia na tabela classificativa. O jogo valeu sobretudo pela entrega dos jogadores de ambas as equipas que se bateram de igual para igual, sendo apenas distintas em relação ao modelo de jogo seguido: os locais com mais posse de bola procurando construir as jogadas em passes progressivos e iniciativas individuais pelos extremos, o seu adversário usando processos mais diretos e maior velocidade na troca de bola, recorrendo com frequência à falta para travar o ímpeto dos lanhesenses. Ora atacamos nós ora agora é a vossa vez, o jogo repartia-se pelas duas metades do relvado com perigo equivalente para os dois guarda redes. A atuação do Juiz da partida foi sempre equilibrada nas decisões que tomou não tendo que resolver casos difíceis porque os jogadores também colaboraram. Lamentavelmente o jogo ficou ensombrado pelos episódios ocorridos "à moda antiga" já no expirar do tempo regulamentar que ensombraram uma partida que até ali tinha decorrido de forma normal e sem problemas de maior.


                            LANCES DO JOGO






 RESULTADOS DA JORNADA E CLASSIFICAÇÃO GERAL
JORNADA 27
CLASSIFICAÇÃO GERAL




PRÓXIMA JORNADA (28ª)



08/05ARC Paçô-ADC Correlhã
Monção-Vitorino de Piães
Castelense-FC Vila Franca
Ponte da Barca-AD Campos
Cerveira-SC Courense
Vila Fria-AD Chafé
Valenciano-UD Lanheses
GD Moreira do Lima-Atl. Arcos
         
       (zerozero)

                                                         SOL E SOMBRAS

Fotos: doLethes
Remígio Costa


    

Sem comentários:

Enviar um comentário