segunda-feira, 2 de setembro de 2013

QUEM PARTICIPOU, GOSTOU.

        
                 A réplica de uma piroga monóxila (construída a partir de uma única peça de madeira), a segunda "criação" do Caninhas, depois do barco água-arriba "LANHEZES".
  

                       O balanço da Festa do Milheiral que ontem, Domingo, 1 de Setembro, se realizou no Parque Verde, em Lanheses (Viana do Castelo), numa organização da Junta de Freguesia, é claramente positivo. A anuência das populações ao evento foi deveras significativa, o programa foi cumprido na totalidade e sem falhas de vulto , o tempo colaborou emprestando ao recinto onde decorreu a temperatura ideal para este tipo de diversão e entretenimento.

                  Como se previa cedo principiou a corrida aos lugares mais protegidos da inclemência dos intensos raios solares e aos equipamentos existentes debaixo das árvores, o que, de certo modo e dada a alta temperatura que se fazia sentir, poderá ter contribuído para que muitos tivessem retardado a participação para hora mais aprazível, adiando por algumas para melhor altura da tarde a sua chegada ao Parque. A prova disso podia constatar-se pela fila de viaturas que ia engrossando à medida que o Sol descia no horizonte de forma a lotar completamente a comprida Avenida Rio Lima desde o centro cívico até ao recinto onde a festa estava a decorrer causando algumas limitações ao trânsito de viaturas.

                 Animação foi a nota dominante da tarde-noite da festa do Milheiral, com música, dança, jogos e piquenicão que uniu em convívio muitas famílias separadas ao longo do ano por força da emigração de muitos dos seus membros, alguns deles vindo propositadamente para estar juntos nesta altura, ou tendo outros que aqui estiveram em gozo de férias retardado o seu regresso ao país onde estão radicados há vários anos.


O Caninhas e o campeão olímpico Fernando Pimenta, conduzem para o rio Lima a réplica de uma piroga de há cerca de dois mil e duzentos anos atrás.                  

                   Um dos acontecimentos de destaque e que motivou a curiosidade do arraial foi o do baptismo da réplica de piroga monóxila construída artesanalmente por Manuel João Franco Castro da Rocha, o Caninhas, que voltou definitivamente anos atrás às suas origens com a família depois de algumas décadas de emigração em França e, actualmente, votado à pesca com licença de Mestre de lides marítimas. O Caninhas, como gosta e é popularmente tratado no meio, tem uma paixão primordial desmedida pelo rio e pelos barcos, tendo sido o construtor de uma réplica do barco água-arriba típico do rio Lima e desaparecido dele há cerca de cinquenta anos, reconhecida oficialmente, baptizado com o nome de "LANHEZES" e a navegar há mais de um ano nas águas do Lethes.


                  A cerimónia do lançamento à água foi apadrinhada pelo vice-campeão olímpico de canoagem em Londres no ano passado, o atleta limiano Fernando Pimenta, muito saudado pelos presentes que fizeram questão de ser fotografados a seu lado, no que ele acedeu com extrema simpatia e sempre de largo sorriso na face irradiante de simplicidade. Pimenta e Caninhas, mesmo antes da benção que viria a ser ministrada pelo pároco da paróquia de Lanheses e de Meixedo, padre Daniel da Silva Rodrigues, deram as primeiras remadas num ligeiro percurso que ladeou o Lanhezes ali perto fundeado, perante as palmas da multidão reunida na margem a saudar os dois primeiros tripulantes da canoa. A construção utilizou um tronco seccionado de um carvalho do norte abatido pelos serviços de conservação do ambiente da Câmara Municipal junto à berna da estrada 202, no lugar do Romão, desta freguesia, por ele escolhido, cavando o Caninhas manualmente uma canoa monóxila com o comprimento de 5,36m e cerca de trezentos kg de peso, com dois remos soltos também de madeira.

                   A piroga flutua em total estabilidade.

 Fernando Pimenta em posição de remador e o Caninhas, testam com êxito a navegabilidade da antiga embarcação do Lima.

                                     Fernando Pimenta, ensina.

                  Já com o sol no crepúsculo, decorreu o desfile das marchas no palco e terreno adjacente tendo-se exibido uma forte representação da Seara da margem esquerda do Lima e, outra muito muito representativa da "vila mais antiga de Portugal", Ponde de Lima, bem como o grupo da Obra Social Riba Lima, constituído na sua maioria por homens e mulheres de Lanheses que se entregam ainda à agricultura recolectora doméstica como ocupação activa dos tempos livres e por brio na conservação do património que herdaram dos seus antepassados, efusivamente aplaudidos nos números e desempenho coreográfico que exibiram.

Rancho da Seara a desfilar rumo ao palco (3 fotos).






 Ponte de Lima, em estilo fadista, numa coreografia e guarda-roupa muito sugestivos, honrou a tradição da vila limiana, a mais antiga e também a mais linda de Portugal. (5 fotos)







 O Rancho da Obra Social Riba Lima, que integrava homens e mulheres actividades ligadas à lavoura familiar na sua maioria, buscou na tradição dos costumes da freguesia e nos trajes da mulher simples que trabalha a terra, a inspiração para o tema que exibiu no Milheiral. (11 fotos)














                  No encerramento do programa oficial decorreu uma esfolhada minhota por conta das mulheres e homens componentes do rancho da Obra Social , a que se juntaram muitos dos presentes num  ambiente de esfuziante e contagiante alegria que se manteve, ainda, pela noite amena adentro por algumas horas.

                  De registar o extraordinário civismo que reinou em todo o recinto e no tempo em que decorreram os muitos eventos programados, não tendo sido notada a inexistência de quaisquer unidades de serviços de segurança pública no Parque Verde.

                  QUEM PARTICIPOU, GOSTOU!


                                             ÁLBUM FOTOGRÁFICO DO FESTIVAL.


































































































O responsável do doLethes, ao lado do medalha de prata olímpico, em Londres 2012, FERNANDO PIMENTA.

Obrigado.

5 comentários:

  1. Espetacular. Esta já é a NOSSA FESTA!

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito de ver. O ano passado gostei de estar ai. E ver estas fotos ficei com muitas saudaded.
    Fernanda Pereira

    ResponderEliminar
  3. tudo maravilhoso , so que a hitoria da piroga ta mal contada , deve tirar duvidas com o presidente da junta , ele o devara esclarecer em concreto como , quem interveu nesse projecto , espero ver essa rectificação em breve , cumprimentos bem haja

    ResponderEliminar
  4. toda a gente sabe a istoria da piroga

    ResponderEliminar
  5. lanhezes de parabens; graças ao trabalho de pessoas que tem orgulho da nossa terra; veremos a contiuaçao David pereira

    ResponderEliminar