terça-feira, 13 de março de 2012

IGREJA DE S. CLÁUDIO VIU PORTUGAL NASCER.

                                               Fachada principal


           A cerca de uma légua de distância de Lanheses e de mil metros da estrada da nacional 305 que liga Viana a Ponte de Lima pela margem direita do Rio Lima, ou, saindo na A-27 em direcção à freguesia de Nogueira, temos perante nós o templo românico da igreja de S. Cláudio ali edificado, pela primeira vez, em 1183, alguns anos antes do reconhecimento papal da independência de Portugal, tendo sido contudo a capelinha original posteriormente em parte demolida para dar lugar à actual, mais ampla, mantendo-se o que é agora a cabeceira do templo, do lado nascente, na sua traça primitiva.

            A segunda construção foi inaugurada em 1201 pelo Bispo de Tuy, D. Pedro.

                                 Cornija e cachorros





                                       
                                             Sepultura

            Esta igreja monástica está erigida no sentido nascente-poente, tem do lado sul uma entrada em arco românico com dois símbolos pintados no tímpano, e, do lado do poente numa fachada do séc. XIII, a Porta da Glória, em arco de roda perfeita que dava acesso ao cemitério, em frente. Por cima, uma cruz pátea tendo nos braços laterais dois dragões.

             Nas cornijas dos lados sul e norte vêm-se numerosos e diferentes cachorros com imagens simbólicas de animais e pessoas.

                                No interior








            O interior divide-se numa nave e cabeceira (abside). Sob o Arco Triunfal que delimita o espaço está a ara do altar para as celebrações religiosas tradicionais, sendo notáveis os lindos capitéis antigos pré-românicos sustentados pelas colunas moçárabes que o sustentam.

                          Pia gótica, no interior da Igreja.

            A Igreja é classificada como monumento nacional e encontra-se muito bem recuperada sendo pontualmente utilizada para nela promover actos religiosos.
                                       
                         Muro exterior com pedras do antigo Mosteiro que ali perto existiu.



                  A visita que hoje ali decorreu, orientada pelo doutor Alberto Abreu, que integrava a turma do segundo ano da Academia Sénior do IPVC, da Escola Superior de Tecnologia e Gestão, faz parte da disciplina de História e Património Cultural de Viana do Castelo, a cargo do reputado professor jubilado. Os elementos aqui divulgados podem conter algumas imprecisões ou menor adequação à terminologia específica da era da construção da capela os quais são, a verificarem-se, da minha única e exclusiva responsabilidade.


             O templo não se encontra aberto permanentemente mas uma visita pode ser combinada antecipadamente com a autoridade paroquial (pre. Fonseca), sempre disponível para o efeito. Sendo que só um acompanhamento especializado preenche totalmente o interesse que o monumento inegavelmente possui, a sua bela traça exterior e o magnifico enquadramento paisagístico envolvente compensam, generosamente, uma visita de fácil acesso rodoviário e de elevado valor histórico e cultural.


                      Profissionalismo do repórter de imagem...



                       À esquerda, prof. A. Abreu. À direita, pároco de Nogueira, prof. Fonseca. No centro, alunos.
                         
                                             Conversa (informal) de fim de visita.
    

            

          

       

3 comentários:

  1. Desconhecia a historia dessa capela e passo tantas vezes na estrada, em frente!Gostei da reportagem e das fotografias e qualquer dia irei visita-la. Parabéns ao reporter, que, como vemos numa das fotos, nao poupa esforços para nos dar as mais belas imagens.Muito obrigado por nos fazer partilhar as maravilhas do nosso patrimonio cultural.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo 10:33:

    As fotografias publicadas não são do "fotógrafo"... fotografado, são da minha modesta hp. Este, "trabalha" por conta própria e nem a recibo verde lhe pagam (é aluno).

    Não deixe de lá ir. Se tiver a sorte de ter por lá o prof. Fonseca, tanto melhor.

    RC,

    ResponderEliminar
  3. PS. Ou, o dr. Agostinho Gomes, Director da EB 2,3/S, de Lanheses, que reside ali perto.

    ResponderEliminar