terça-feira, 12 de novembro de 2013

PENSÕES E INSPIRAÇÕES.

                Quando se quer justificar medidas que se pretendem implementar entre nós , frequentemente, os governantes fazem questão de inspirar-se no "que se faz lá fora" procurando estabelecer um paralelo entre as realidades dos países onde elas foram implementadas e resultaram e a nossa onde vão ser aplicadas. Nada haveria de errado neste princípio se o que não fazemos bem no nosso país fosse corrigido adoptando o que de muito bom se faz noutras realidades, o que só em casos muito pontuais isso normalmente acontece.  Por experiência sabemos que quando se fala em aumentar o salário mínimo dos trabalhadores portugueses de nada vale saber qual é o valor daquele provento em Espanha, na França ou na Alemanha porque o Governo não deixaria de lembrar que a nossa realidade é bem diferente; pode ser um fiasco ir a países do norte rico copiar a arquitectura das escolas para construir idênticos estabelecimentos em Portugal, como ir procurar à Venezuela um modelo de avaliação para o corpo doente nacional, por mais bizarro que pareça, porém, haverá sempre quem entende que é este um justificado procedimento.

            No que diz respeito aos sucessivos cortes nas pensões dos aposentados/reformados o argumento mais badalado do Governo é o de que o "sacrifício deve ser distribuído por todos", o que até teria sentido se "todos" quisesse dizer também as pensões de TODOS os que acumulam idênticos abonos de diferentes organismos. 

          É óbvio que o Governo conhece bem o procedimento solidário e honesto que os países civilizados da Europa concedem aos direitos adquiridos pelos seus trabalhadores aposentados/reformados; não é para eles, pois, que aqui divulgo um depoimento respeitante aos critérios seguidos num dos mais pequenos territórios do mapa dos países europeus, grande no respeito que merecem os aposentados/reformados no que concerne à acumulação de pensões, mas para aqueles que entendem que "lá fora" há, de facto, bons exemplos que em Portugal são, deliberadamente, esquecidos.
       

RTP Noticias - Reformas na Suíça com tecto máximo de 1700 euros - http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=390426&tm=7&layout=122&visual=61&source=mail

Sem comentários:

Enviar um comentário